Rua das Pretas

19:50 Paulo Camacho 0 Comments


A Rua das Pretas começa no Largo da Igrejinha e termina no largo em frente da igreja de São Pedro. Onde, curiosamente, confluem outras artérias da cidade.
O que se pode começar por dizer desta rua é que mantém a traça igual à que tinha em 1560, quando apareceu desenhada numa planta da cidade.

foto: Funchal Daily Photo
Não obstante, segundo escreveu Rui Santos na sua “Crónica de domingo“, no Jornal da Madeira, esta rua chamou-se anteriormente Dr. Câmara Pestana.
Quanto ao nome actual, as leituras mais convergentes apontam para que a origem se deva à existência de diversas casas de famílias ricas que tinham ao seu serviço muitas empregadas negras.
Mas há também quem refira que se deve à constante circulação de negros que trabalhavam nas residências relevantes situadas nas redondezas.

Outra curiosidade desta rua é que, no início do século XX, existiam os estábulos para os animais que conduziam atrelados, um meio de transporte de mercadorias pesadas muito utilizado na época. Contudo, as autoridades sanitárias terão decidido que os animais deveriam ser mudados para um local mais afastado do centro pela higiene e ruído.

Hoje, a Rua das Pretas tem alguma habitação, mas é mais direcionada para o comércio e serviços. Mantém as casas senhoriais, mas, na maior parte, estão fechadas. A aguardar novas vidas.
É nesta rua que está, logo no início, o IAsaúde – Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais. Depois tem uma unidade hoteleira, restaurantes, um cartório notarial, lojas diversas, tabacaria, lavandaria, e um centro comercial.

Em tempos teve uma das confeitarias mais famosas da cidade: a Confeitaria Felisberta. Há muitos anos que está desativada e cada vez mais degradada.
E, teve, até há poucos anos, uma das últimas, senão mesmo a última alfaiataria da capital madeirense.

A Rua das Pretas tem cerca de 180 metros de comprimento.

por Paulo Camacho

0 comentários: